COP 27: Quando será pra valer?



Cientistas detalharam que as temperaturas mais altas estão levando a mais “extremos compostos.” Isto é, quando várias ameaças climáticas (como temperaturas extremas e precipitação) ocorrem ao mesmo tempo e no mesmo lugar e/ou repetidas vezes.


A 27ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP 27) será realizada no Egito, de 06 a 18/11, com grande expectativa. A razão é o relatório divulgado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), em fevereiro deste ano. O documento destaca – agora com mais dados em relação ao relatório anterior – os efeitos das mudanças climáticas no planeta.

As recentes declarações de Patrícia Espinosa, secretária executiva da Convenção do Clima da ONU (UNFCCC), reforçam o cenário de expectativa. De acordo com ela, “a ciência é clara: devemos ver mais ações [extremas] do clima nesta década, e se quisermos alcançar a neutralidade de carbono até 2050 e, em última análise, a meta de 1,5 grau, precisamos acelerar as ações [para promover a neutralidade de carbono]”, disse em janeiro último.

O apelo da executiva da ONU aconteceu um dia antes da reunião ministerial do Fórum das Grandes Economias de Energia e Clima, grupo de países responsáveis por cerca de 80% das emissões globais de gases de efeito estufa (GEE).


Cenário de mudanças climáticas se agravou, segundo IPCC


A COP-27 deve acontecer num cenário de pressão, uma vez que os países estão longe do nível de ambição necessário para alcançar as metas do Acordo de Paris, segundo a ONU.

Ainda na reunião anterior (COP-26), foi tomada uma decisão exigindo que todos as nações apresentassem planos mais fortes anualmente, a partir de 2022. Para Espinosa, existem áreas que exigem progresso específico na preparação para a COP-27, incluindo redução de emissões, adaptação aos impactos das mudanças climáticas e financiamento climático, com foco no financiamento para adaptação.

Na COP-26, os governos concordaram com a necessidade de fornecer mais apoio aos países em desenvolvimento e pediram que o financiamento da adaptação fosse dobrado.


Clima, adaptação e vulnerabilidade devem ser principais temas da COP-27


De forma geral, o mais recente relatório do IPCC tem como foco os impactos no clima, adaptação e vulnerabilidade, temas que devem fazer parte da agenda do encontro que acontece no Egito.

Na opinião da The Nature Conservancy (TNC), o relatório mostra algumas coisas parecidas com o anterior, mas traz mais dados que descrevem os efeitos das mudanças climáticas com mais exatidão. “O aumento da frequência e intensidade desses eventos ameaçam a saúde e a segurança de milhões de pessoas ao redor do mundo, tanto por impacto direto quanto por consequências das dificuldades para produção de alimentos e acesso a água potável”, destaca o TNC.

Um dado preocupante e que deve ser bastante debatido é o fato de os cientistas detalharem que as temperaturas mais altas estão levando a mais “extremos compostos.” Isto é, quando várias ameaças climáticas (como temperaturas extremas e precipitação) ocorrem ao mesmo tempo e no mesmo lugar e/ou repetidas vezes.

3 visualizações0 comentário
LÚMEN FACHADA_edited.jpg
Captura de Tela 2022-03-31 às 10.17.18.png
Captura de Tela 2022-03-31 às 10.16.52.png
PM MEU LOTE MINHA HISTÓRIA_edited.jpg