Artigo

Fuma maconha, Califórnia, fuma!…

By Moacir de Melo 

A Califórnia é o estado americano com mais moradores de rua dos EUA,  em torno de 160.000 pessoas. VEJA VÍDEO.

O PIB do estado americano da Califórnia é de 3,5 trilhões de dólares, praticamente uma vez e meia o PIB brasileiro. Se fosse um país, seria a quinta economia do mundo nos dias de hoje, ainda…

Governada desde 1992 pelos Democratas ou a esquerda de lá, o estado tornou-se porta de entrada fácil de migrantes dos países americanos em sua divisa com o México. Este fato, com certeza, acelerou a pobreza periférica, em vista da liberação ou facilidades promovidas pela esquerda, acelerada agora na gestão do Presidente Biden, fato que gerou repulsa em outros estados, em especial no Texas. E a Califórnia, apesar de sua riqueza, tornou-se o estado com mais moradores de rua dos EUA,  em torno de 160.000 pessoas.

Sim, passei por lá e fiquei deveras triste com o que vi em agosto de 2022. Desde a cidade de Los Angeles quando, subindo sem pressa pela famosa estrada Highway, na costa do Pacífico, até chegar, triunfalmente, na cidade dos meus sonhos, São Francisco, cumprindo um desejo antigo de viagem. Só que, desde Los Angeles até São Francisco, o então sonho californiano foi-se deteriorando ao longo da viagem, passando pelos Vales de Sonoma e Napa, ao deparar com grandes lavouras de maconha, alta pobreza nem só na periferia das cidades como em qualquer ponto que o turista ouse visitar.

Por lá, em todas as cidades, deparamos com ruas abarrotadas de drogados, moradores de rua em todos os lugares possíveis dos centros das grandes cidades, impossibilidade de andar pelas ruas com assaltos iminentes, lojas trabalhando trancadas e com segurança total, muita carestia e impostos muito altos. Muito triste!

Sobrou a questão: O que aconteceu e acontece com a Califórnia? A resposta reside em apenas um ponto: Políticas Públicas equivocadas. E o estado americano mais rico vai seguindo de marcha a ré. Grandes empresas estão mudando de sede para o estado do TEXAS, ou outros, onde o imposto é menor, têm mais segurança e melhores condições de vida.

Yes, na Califórnia-EUA, desde 2016, a maconha foi liberada para uso “recreativo”. Desde 2006, já era liberada para uso medicinal. E o estado tem exemplos fortes do que não poderia ser esquecido por aqui. Primeiro que tinham a expectativa de faturar EU$ 1bilhão por ano de impostos e esta expectativa foi frustrada porquanto os usuários preferem comprar dos traficantes que vendem mais barato; apesar da regulação forte, não é considerado tráfico até 28,35 gramas, a polícia não consegue solucionar; a liberação proporcionou um excedente fantástico de produção e o estado vende ou exporta em torno de 85% da sua produção, fato que concorre para aceleração e disseminação da droga para o país inteiro.

Em consequência disto, a calçada da fama em Los Angeles está tomada noite e dia por usuários de drogas em estilo hippies ou não; violência e assassinatos em alta; assaltos de toda ordem e a toda hora em lojas e supermercados protegidos por uma lei estadual maluca que libera da cadeia quem rouba até 950 dólares. Por causa disto, os mercados trabalham praticamente fechados, com guardas armados em suas saídas para impedir assaltos iminentes. Coisa feia de ver e que os políticos de lá assistem mas não se manifestam. Fuma maconha, Califórnia, fuma!

Do lado de cá, no momento em que iniciamos nossa liberação das drogas ao definir como não tráfego uma quantidade de 40 gramas de maconha, decidida pela nossa Suprema Corte, quantidade superior às 28,35 gramas da Califórnia em baixa, começo a antever o que vai acontecer por aqui, em um país que tem por grandeza premiar o ócio.

O que vem por aí é deveras assustador. Fico por entender o conceito na cabeça de nossos lideres políticos de esquerda, não só por aqui, mas mundo afora, que se dizem defensores dos pobres e oprimidos e impõe-lhes tamanho sofrimento e tolhem suas perspectivas de futuro, com políticas equivocadas de incentivo às drogas, ao ócio e às coisas erradas, como no exemplo californiano.

Meus sonhos ou devaneios por aqui, na terra de Cabral, continuam e insistem em me fazer acreditar que nossos líderes políticos irão regulamentar o uso medicinal da maconha, diminuir, urgentemente, a quantidade para uso pessoal da canabis, criar condições para gerar empregos, diminuindo a burocracia e a carga fiscal que nos impede de competir mundo afora; unir a nação brasileira; procurar dar dignidade às pessoas, promovendo ensino de qualidade para todos com profissionalização, sem populismo, sem paternalismo e sem clientelismo. Afinal, só seremos salvos do atraso pela EDUCAÇÃO. Não há outro caminho…

Fora disto só nos resta pedir: SENHOR DEUS, tende piedade de nós, simples mortais. Amém!

NOTA: Em 2022, a situação já era crítica. Imagine hoje… VEJA VÍDEO:

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Artigos relacionados

    Deixe um comentário

    Verifique também
    Fechar
    Botão Voltar ao topo
    Nova Conversa
    Escanear o código
    Olá 👋
    Como podemos te ajudar?